Outras Raças

 

Basset Hound

Bernese

Buldogue Americano

Buldogue Francês

Buldogue Inglês

Bull Terrier

Cane Corso

Cão D'Água Português

Chow Chow

Cocker Spaniel Americano

Coton de Tulear

Dogo Canário

Dogue Brasileiro

Fila Brasileiro

Fox Paulistinha

Grande Cão Japonês

Husky Siberiano

Kuvasz

Retriever de Labrador

Rhodesian Ridgeback

Samoieda

Soft Coated Wheaten Terrier

Staffordshire Bull Terrier

West Highland White Terrier

 

 

 

 

 

 

 

 

Basset Hound

Basset Hound

  " Ninguém pode se queixar de não ter um amigo podendo ter um Basset Hound" (Christiane Ulmo)

Essa raça é originária da Grã-Bretanha e é fruto do cruzamento do Basset francês com o Bloodhound inglês. O Basset Hound pertence a um grupo de cães que se consagrou  por originar excelentes companheiros - os cães de caça - já que a função requer grande proximidade com o homem. Seu uso recente é quase que exclusivamente para companhia. Embora seja um ótimo farejador, equiparável ao Bloodhound (considerado o melhor faro do mundo), persistente na perseguição e resistente a ponto de andar horas a fio, é tido como lerdo demais na perseguição das presas. Por seu excelente olfato é classificado na raça dos sabujos.  

É um animal calmo, gentil e tranqüilo e costuma se apegar bastante ao dono que ele elegeu. Gosta muito de ficar perto das pessoas mas faz o tipo independente embora não goste de ficar sozinho reagindo com latidos bastante graves. Normalmente é um cão que late moderadamente. Não é um cão agressivo mas não gosta muito de ter alguém manipulando suas patas, focinho e orelhas.  

Ele adora passear o que lhe dá a característica de excelente companhia. É simpático com os passantes, aceita afagos e a aproximação de desconhecidos sem qualquer reação de hostilidade e tem boa sociabilidade com outros cães, com os familiares e visitas mas não tem pique para acompanhar a hiper-atividade infantil.  

Não é muito fácil adestrar um Basset Hound (tipo senta, levanta e fingir de morto) pois ele é muito teimoso, por isso é preciso bastante paciência para obter algum resultado. Essa resistência a treinamento não significa que seja um cão pouco inteligente. Ele é um cão observador e perspicaz. Ele é o tipo que aprende rapidamente abrir portas e potes e sempre que vê a coleira já associa que vai sair e quando vê seu dono com uma toalha na mão já sabe que vai tomar banho. 

Essa raça não é considerada muito ativa, embora isso não signifique que ela não tenha resistência para práticas esportivas nem tampouco que não tenha seus momentos de maior entusiasmo. Atraido por estímulos, como o chamado do dono e com espaço para brincar  mostra-se com mais ativividade. Entretanto o que mais ela gosta é sombra e água fresca. Sempre acha um lugar confortável para cochilar e observar a vida ao redor. 

O Basset Hound tem pernas curtas e fortes, a ossatura é sólida e pesada. Apesar da aparência é um animal bastante ágil, tem grande resistência física o que lhe permitia a farejar pistas mesmo em terrenos difíceis.   

O pêlo é duro, liso e denso o que protege bem o animal. As cores da pelagem são as mais variadas (tons de marrom,preto, branco, bicolores e tricolores).  

O corpo é longo, baixo e bem musculoso. A altura é de 33 a 38 centímetros e o peso é de 18 a 27 quilos. As pernas são curtas, fortes e paralelas entre si. O pescoço é musculoso com pele solta mas não excessiva.

Alguns cuidados devem ser observados para a criação de um Basset Hound. Como essa raça tem um odor relativamente forte deve-se dar banhos cada duas semanas. Deve-se ter o cuidado de seca-lo bem, após as lavagens,  pois do contrário ele ficará mais vulnerável a problemas de pele e com cheiro ainda mais intenso. Deve-se escova-lo (no intervalo dos banhos) uma vez por semana para tirar os pêlos mortos e manter a pelagem brilhante. O ideal é utilizar uma escova tipo luva de borracha pois é mais eficiente.

Como as orelhas são muito grandes e pendentes elas prejudicam a boa circulação de ar ao canal auditivo tornando a raça sujeita a inflamações de ouvido. Para evitar a otite à única alternativa é a higienização periódica. O ideal é fazer a limpeza dos ouvidos toda a semana e realizada por pessoas bem orientadas porque senão pode machucar seriamente o cão. 

Como o Basset Hound tem pálpebras pendentes e conseqüentemente com a conjutiva exposta ele produz mais secreção ocular e por isso tem tendência a inflamações oculares. Por isso é aconselhável a limpeza diária dos olhos utilizando-se um algodão embebido em produto adequado para essa finalidade ou utilizando-se soro fisiológico ou água filtrada. Não deve ser utilizada a água boricada pois pode causar irritação. Os olhos têm a forma de losango geralmente na cor escura em exemplares de pelagem clara e marrons em exemplares de pelagens intermediárias.

A raça geralmente precisa ser auxiliada no acasalamento, pois tem dificuldade de fazê-lo sozinho. O corpo muito comprido e as pernas curtas atrapalham o macho a montar na fêmea e a manter o seu equilíbrio sobre ela; além disso, ela tende a sentar por não agüentar o peso dele . Outro agravante é o excesso de pele solta na vulva e no prepúcio (pele que cobre a cabeça do pênis), que dificulta o acasalamento.

Como esse cão é guloso tem uma tendência à obesidade, por isso aconselha-se estimulá-lo com caminhadas diárias de aproximadamente meia hora para mantê-lo em boa forma e distraído da comida.

A expectativa de vida dessa raça é de 8 a 12 anos.

Bibliografia: Guia de Raças, Cães e Cia , Cães Enciclopédia Universal     e Villier Ulmo Kennel.

Maiores informações sobre a raça : www.villierulmo.hpg.com.br ou e-mail: villierulmo@ig.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BULDOGUE FRANCÊS

BULDOGUE FRANCÊS

"Ninguém ganha do Bulldogue Francês na amizade". Maurício Mracondes, do Canil Anaum de Mauana

Os cães dessa raça, que é originária da França, são fascinantes, exóticos, fiéis e silenciosos, nunca irão molestar seus amigos ou vizinhos com latidos. O Bulldogue Francês, pela sua aparência, pode parecer um brigão, mas tem a alma de um cavalheiro. Ele é brincalhão, tem temperamento alegre e acima de tudo é companheiro.Os Bulldogues Franceses aprendem uma variedade de truques, estão sempre prontos para brincar; são observadores e dotados de uma excelente memória. Tem temperamento ativo, inteligente, companheiro sendo considerados excelentes cães de companhia.

Eles têm uma expressão viva e alerta, gostam da convivência familiar, tanto com adultos como com crianças. São extremamente obedientes e estão sempre querendo agradar a seus donos. "O AMIGO DE TODOS". Devido ao seu caráter, sua fácil manutenção e pelo fato de latirem pouco, fazem com que sejam excelentes companheiros, de fácil adaptação à agitação urbana, vivendo muito bem até em apartamentos.

São tolerantes com as crianças, aceitando qualquer tipo de brincadeira - puxar rabo ou as orelhas, montar como se fossem cavalinhos, etc .; se elas os agridem, não fazem nada para revidar. Com outros cães e animais, dão-se bem, se forem
acostumados desde pequenos.

Clinicamente os Bulldogues Franceses podem apresentar problemas respiratórios, devido à forma do focinho; o colapso cardiopulmonar pode ocorrer quando é submetido a stress calórico muito elevado e o aparecimento da terceira pálpebra surge quando entope o canal lacrimal, mas pode ser corrigido com uma cirurgia bem simples, feita no consultório veterinário.

Suas orelhas, semelhantes às de morcego, a cauda naturalmente enrolada como um parafuso,a cara superachatada com dobras e rugas na cabeça e os lábios negros pendentes formam um conjunto de características de dar inveja a qualquer personagem de ficção, mas sua personalidade dócil o torna
irresistível.

A pelagem é lisa, curta, macia e brilhante. O porte da raça é pequena e tem uma expectativa de vida de 12 a 14 anos.

Texto fornecido pelo Canil Anuam de Mauana. Maiores informações: www.anauam.com.br ou pelo e.mail: anauam@uol.com.br       

 

 

 

 

 

 

 

 

BULDOGUE INGLÊS

Exemplar do Canil Bull Mountain
Criadores de Buldogue Inglês e Bernese Moutain Dog

BULDOGUE INGLÊS

Esta raça surgiu na Inglaterra, no século 19, para ser usada especificamente em combates sangrentos com touros. Naquela época os animais não tinham a aparência atual, eram mais altos e musculosos.

A mandíbula bem desenvolvida foi o fator importante para que eles pudessem ganhar as lutas prendendo o pescoço e as narinas dos touros.

Com o tempo a raça passou por diversos cruzamentos até chegar a aparência atual. Alguns especialistas acreditam que as raças Mastiff e o Pug contribuíram para o desenvolvimento do Buldogue atual.

Embora sua aparência seja de um cão bravo e o seu passado de lutas ele surpreende pela boa índole. É dócil, tranqüilo, fiel e companheiro. É quieto, quase não late e seria praticamente silencioso se não fossem os esquisitos barulhos  que produz em função da sua anatomia. São roncos e barulhinhos que ele faz quando respira,

Tem um comportamento muito especial com crianças sempre evitando de colocá-las em risco. É um cão independente, teimoso e desinteressado em obedecer comandos. Por isso não é fácil treiná-lo.  Ele quer mesmo é ficar quieto no seu canto.

Atualmente é tido como cão de companhia.

Tem um corpo compacto, sólido, baixo e quadrado, dando impressão de força e decisão. Quando anda seus movimentos são semelhantes a um rebolado. O pêlo é curto e rente ao corpo, brilhante e liso. As cores são vermelho, tigrado, branco ou com manchas brancas em qualquer uma das cores. A máscara e o focinho são negros. O tamanho varia de 31 a 36 cm e o peso de 19 a 25 quilos e vive de 8 a 10 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BULL TERRIER

Exemplares do Canil Anauam de Mauana

BULL TERRIER 

" Bull Terrier, bonitos para uns, esquisitos para outros”Ana Luisa De Luca  Canil Anauam de Mauana 

Esta raça é originária da Grã-Bretanha e é classificada como porte médio.
Tem temperamento equilibrado, de caráter forte e  faz relacionamentos duradouros com seus donos.
 

Conhecido como "baixinho bom de briga", o desenvolvimento da raça ocorreu no século passado com o objetivo de brigar com outros cães, até mesmo com ursos e touros; porém, os Bulls de hoje, selecionados pelo padrão de beleza, mantêm algumas de suas características de combate, mas existe uma tendência mundial no sentido de valorizar cães de temperamento mais sociável.


O Bull Terrier é um cão ativo, com uma expressão sempre alerta, determinado e inteligente. Tem uma enorme energia e vitalidade, está semprepronto para brincar e é extremamente ligado ao seu dono e aos familiares. O Bull Terrier não é cão de guarda; como o Dobermann e Rottweiller,acontece que como ele desenvolve uma ligação profunda com seu dono (instinto protetor) e, além disso, por ser possessivo e territorialista, acaba "fazendo a guarda".


Por ser muito teimoso, independente e obstinado no que deseja, é necessário ser educado desde pequeno com bastante firmeza por parte de seu
dono. É um cão resistente, com grande tolerância a dor, o que o torna um
excelente companheiro para as crianças; costuma ser carinhoso e cuidadoso,
pois sabe medir sua força e caso a criança o maltrate, ele simplesmente vai para o seu "canto".

 Uma tendência natural da raça é a dificuldade de relacionamento com
cães adultos estranhos; as fêmeas são mais pacíficas. Sua pelagem é curta, plana, áspera ao toque e brilhante e a  expectativa de vida dessa raça é de 11 a 13 anos. Tem como desqualificação: os olhos azuis 

Texto fornecido  pelo Canil Anaum de Mauana -  Maiores informações pelo site: www.anauam.com.br  pelo e.mail: anauam@uol.com.br ou pelos telefones: (11) 4686.2165, (11)7184.6902

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cane Corso

Exemplar do Canil Di Lorencin

Cane Corso

Esta raça é originária da Itália e  ideal para quem valoriza um guardião que, além de manter afastados os intrusos, deixa bem à vontade as visitas.

É um cão muito sociável, tem muita força e versatilidade e por seu  caráter é um excelente companheiro nas horas de lazer e um bom protetor quando necessário. Anteriormente era utilizado na caça e no pastoreio e atualmente é utilizado como guardião. defesa, polícia de faro  e companhia. É dócil e afetuoso com seu dono, amante de crianças  mostrando ter equilíbrio nas suas reações quando está próximo a elas. 

É um cão muito atento, inteligente e fiel ao dono o que simplifica a sua educação.

Tem uma presença marcante se impõe em seu território mas, pelo seu equilíbrio, não apresenta perigo à sociedade. 

A classificação dessa raça é de molossóides e do tipo Mastiff.

Características

Aspecto Geral – É um cão de tamanho médio a grande, robusto, forte e ao mesmo tempo elegante. É um cão com músculos possantes.

Temperamento e Comportamento -  Animal ativo, atento e observador, cuida muito bem da família,  propriedades e do gado. É extremamente ágil. 

Cabeça – É larga com uma ligeira convergência dos eixos longitudinais do crânio e do focinho. O crânio é largo. O focinho é forte, quadradoe tão largo quanto longo. A cana nasal é reta. Os lábios superiores são pendentes e cobrem a mandíbula inferior. Os maxilares são muito largos e a mordedura tem um ligeito prognatismo.  As orelhas são triangulares, pendentes e largas. Quando são amputadas elas são cortadas em triângulos iguais.

Tronco/Pescoço - O corpo é ligeiramente mais longo do que a altura, tem o dorso reto, bem musculoso e firme. O peito é bem desenvolvido e o lombo é curto e sólido. O pescoço é forte e musculoso, tão longo quanto a cabeça.

Cauda – É inserida alta, muito grossa na raiz. Geralmente é amputada na quarta vértebra. Quando o cão está em ação, ela se eleva, sem jamais enrolar ou ficar na vertical.

Membros – Anteriores:  Longos, oblíquos e bem musculosos. Antebraços retos e fortes. Pés de gato.Posteriores: Coxas longas e largas. As pernas são secas e as patas menos compactas do que as anteriores.

Pelagem - é espessa e bem aderente ao corpo. O pêlo é curto, brilhante e bem fechado com um ligeiro subpêlo. As cores são preta, cinza chumbo, cinza ardósia, cinza claro, fulvo claro, vermelho cervo, fulvo escuro, tigrados e outras.

Altura e Peso - A altura dos machos vai de 64 a 68 cm com peso de 45 a 50 kg  e fêmeas com altura de 60 a 64 cm e peso de 40 a 45 kg.

Colaboração de Renato e Sandra Lorencin - Proprietários do Canil Di Lorencin Maiores informações: www.canildilorencin.com ou pelo e-mail: renatolorencin@aol.com 

 

 

 

 

 

 

 

Chow Chow

Chow Chow

O cão da língua azul  

Até hoje ninguém sabe precisar a verdadeira origem desse animal embora  alguns criadores digam que sua origem é da Mongólia fronteira com a China e a Rússia. A palavra Chow Chow quer dizer alimento na língua Cantonêsa . Logo no início do seu aparecimento, este animal era utilizado pelos nativos como fonte de alimento e de agasalho dada a sua roupagem ser bastante espessa e consistente. Até cerca de 1000 A .C era usado, também como cão de templo. Sua finalidade era espantar maus espíritos sendo essa a razão da expressão severa e carrancuda. 
Alguns criadores afirmam que ele seria descendente do Mastiff do Tibete e do Samoieda. O fato pitoresco desse animal é que é o único exemplar canino que possui a língua da mesma cor azul que o urso polar. 
Este animal desfruta de grande prestígio junto à comunidade chinesa (onde existem o maior número de exemplares) embora sua popularidade, graças a Grã-Bretanha,  já tenha se espalhado por vários países da Europa tornando-o um  excelente cão de companhia e guarda. Também é considerado um cão trabalhador por excelência.
O Chow Chow é dono de grande personalidade e só obedece às ordens do seu dono sendo difícil conseguir amizade com ele, mesmo sendo um membro da família. É extremamente dedicado mas não é dado a grandes demonstrações de afeto embora seus donos saibam muito bem de quanto eles são capazes no que se refere à dedicação e carinho.  Deve ser treinado para aceitar a presença de estranhos com naturalidade. 
É um cão bastante independente, senhor de si demonstrando excesso de confiança em tudo que faz. Apesar de delicado não se entende muito bem com crianças devido à hiper-atividade delas.  Não é um animal muito ativo não requerendo maiores atividades físicas embora os que morem em lugares pequenos devem ser levados para passear por cerca de meia hora por dia. 

Aparência Geral

É um cão de porte orgulhoso, compleição física equilibrada, harmonioso, ágil, embora com andadura peculiarmente curta. Este animal tem um excelente preparo físico e resistência. Seu corpo é ligeiramente roliço e tem excelente musculatura. A sua cabeça lembra a de um leão não fosse o seu focinho curto, sendo que a sua feição é mais para o circunspeto do que o amigável.

Cabeça e Crânio

O crânio é largo e plano e sua cabeça é revestida de pelagem intensa como uma juba o que lhe confere  um certo aspecto leonino. O focinho tem comprimento moderado, sua língua é azul e o céu da boca  preto-azulado.  Tem mordedura em tesoura, isso é com dentes superiores da frente fechando-se imediatamente adiante dos inferiores da frente. É um animal que late muito pouco. O nariz é grande de cor preta embora em alguns exemplares ele pode ter a mesma cor da pelagem. Os olhos são ovais, de tamanho médio e lacrimejam por isso eles têm uma tendência especial a certos problemas de vista que podem ser evitados com cuidados diários. As orelhas são pequenas, grossas, eretas viradas para frente, ligeiramente convergentes e com pontas ligeiramente arredondadas.

Corpo

O pescoço é forte e ligeiramente arqueado. A cauda é dobrada sobre o dorso.

Membros

As pernas, anteriores e posteriores, são musculosas e paralelas entre si. Os pés são pequenos e redondos.

Pelagem

Sua pelagem é bastante densa, servindo como proteção à intensidade do frio oriental e requer bastante cuidado para não formar gomos. Não é animal indicado para climas quentes. Ela  é abundante, espessa, lisa e um pouco dura, Tem um sub-pêlo lanoso e mais suave, As cores são 5. Duas são dominantes: vermelha e preta e três são recessivas: fulva (canela), azul e creme, sendo que também pode aparecer o creme claro que é chamado de branco.

Tamanho

A altura é de 46 a 51 cm (fêmeas) e 48 a 56 cm (machos. Pesa de 21 a 32 quilos e a expectativa de vida é de 12 anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GRANDE CÃO JAPONÊS

GRANDE CÃO JAPONÊS

Esta raça é originária do Japão e foi desenvolvida nos Estados Unidos. A história dessa raça, também conhecida como a AKITA Americano foi desenvolvida da mesma maneira que o AKITA Japonês. Desder 1630, na região de AKITA a raça Akita Matagis (cães caçadores de ursos) eram utilizados em lutas de cães. Já a partir de 1868 essa raça foi cruzada com Tosas, Poiters Alemães, São Bernardos ou Dogues Alemães.

Esta raça é utilizado como companhia e guarda pessoal. É um animal amigável, alerta, responsável, digno, dócil e corajoso. 

Aparência Geral – É um cão de grande porte e construção robusta, bem balanceado, com muita substância e ossatura pesada. O corpo é mais longo do que alto e a pele não deve ser muito fina, muito estirada ou muito solta. O lombo é bem musculoso com tórax amplo e profundos com costelas bem arqueadas e ante-peito bem desenvolvido. 

Cabeça/Crânio -  A cabeça é larga, muito grande formando um triângulo obtuso (abrupto) quando vista por cima e o focinho é amplo, profundo e cheio. O crânio é chato e amplo entre as orelhas apresentando um raso sagital, extendendo-se bem pra cima na testa. O stop é bem definido e a trufa é ampla e negra permitindo-se, entretanto, a cor de carne. 

Mandíbulas/Dentes – A mandíbula é forte e poderosa. Os dentes são fortes com dentição regular e completa. A mordedura é em forma de tesoura perfeita. Os lábios são negros e a língua rosa. Em exemplares brancos  são permitidos os lábios cor de carne. 

Olhos e Orelhas – Os olhos são relativamente pequenos, não pronunciados e de formato quase triangular. São castanhos escuros, as pálpebras são negras e apertadas, permitindo-se a cor de carne em exemplares brancos. As orelhas são fortemente eretas e pequenas em relação ao resto da cabeça. Se dobradas para frente para avaliar-se o comprimento, a ponta  deve tocar a pálpebra superior. As orelhas são triangulares, levemente redondas na ponta, largas na base e de implantação não muito baixa. Vistas de lado são anguladas para frente sobre os olhos seguindo a linha do pescoço. 

Cauda – A cauda é grossa e bem revestida de Pêlos, inserida alta e portada sobre o dorso ou contra o flanco. É enrolada em ¾ de volta, volta completa ou dupla volta, sempre portada caída para o mais baixo nível do dorso. A base da cauda é grossa e forte. Os pêlos são grosso, retos e densos sem aparência de pluma. 

MembrosAnteriores: São de ossatura pesada e retos vistos de frente. Os ombros são robustos e poderosos com angulação moderada. Os metacarpos são ligeiramente inclinados para frente em um ângulo de aproximadamente 15° com a vertical. Posteriores: São fortemente musculosos, largos e de ossatura comparável aos anteriores. As coxas são fortes, bem desenvolvidas e paralelas quando vistas por trás. Os joelhos são moderadamente arqueados e os jarretes são bem para baixo, virando nem para dentro nem para fora. Os pés de gato retos são corretamente alinhados para frente e com dedos bem arqueados com almofadas grossas. A movimentação é poderosa, paralela quando vista pela frente por trás. 

Pelagem – A pelagem é dupla, reta, áspera, grossa e relativamente assentada pelo corpo. É mais curta na cabeça com porção inferior nos membros e orelhas. Tem sub-pêlo grosso, macio, denso e mais curto do que o pêlo. O comprimento do pêlo na cernelha e culotes é de aproximadamente 5 cm o que o torna ligeiramente mais longo que o restante do corpo exceto na cauda onde há uma pelagem mais longa e profusa. As cores são o vermelho, castanho, branco, malhado ou tigrado. 

Tamanho – O tamanho para os machos vai de 66 a 71 cm e para as fêmeas de 61 a 66 cm 

Texto de Christiane Ulmo – Produtora de Cães em Campanhas Publicitárias. 

Maiores informações: www.canilwhitestar.com.br ou pelo e.mail: csulmo@ig.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Dogo Canário

Ringo, exemplar do Cane Club Kennel

DOGO CANÁRIO

É um  cão molossóide originário das Ilhas Tenerife e Grande Canária, no arquipélago Canário. Surgiu como resultado do cruzamento entre o "majorero", cão pastor pré-hispânico oriundo das ilhas e cães molossóides que chegaram ao arquipélago. Destes cruzamentos, originaram um agrupamento étnico de cães do tipo dogo, de tamanho médio, de cor tigrada e fulvo, manchados de branco, de morfologia robusta, própria de um cão molosso, porém com agilidade e força, de bom temperamento, rústico e de caráter ativo e fiel.

Durante os séculos 16 e 17 sua população aumentou consideravelmente, existindo numerosas referências ao mesmo nos textos históricos posteriores à conquista e sobretudo aos "Cedularios del Cabildo", nos quais se explicam as funções que realizavam, especialmente como guarda e cuidado dos rebanhos bovinos, assim como, aos serviços que prestavam aos fazendeiros para recolher o gado. 

Aparência Geral

Cão molossóide, de tamanho médio, simétrico, de perfil reto, com máscara negra. Rústico e bem proporcionado. É um mesomorfo, cujo tronco é mais longo que sua altura na cernelha, acentuando-se a característica longilínea ligeiramente maior nas fêmeas. 

Comportamento/Temperamento

O seu aspecto é sereno. Olhar atento. É especialmente dotado para as funções de guarda e tradicionalmente para cuidar e conduzir o gado. Seu temperamento é equilibrado e de grande confiança em si mesmo. Latido grave e profundo. É manso e nobre em família, com grande apego ao dono e desconfiado com estranhos. Expressão de grande confiança, nobreza e um pouco distante. Quando em alerta, sua atitude é muito firme e seu olhar vigilante.  

Cabeça/Região Craniana

A cabeça é de aspecto maciço, coberta de pele solta e frouxa. Sua forma tende a ser um cubo um pouco alongado. A proporção entre o crânio e focinho é de 60 - 40%. A largura do crânio é de 3/5 do comprimento total da cabeça. O crânio é ligeiramente conexo em sentido antero-posterior e transversal, se bem que o osso frontal tende a ser plano. Sua largura é muito similar ao seu comprimento. A arcada zigomática é muito marcada com grande desenvolvimento dos músculos temporais e masséteres, porém, sem saliências. A crista occipital não é marcada. O stop é definido, porém não brusco. O sulco mediano entre os sulcos frontais é marcado e ocupa aproximadamente 2/3 do crânio. As linhas crânio-faciais são paralelas ou ligeiramente convergentes.

Região Facial

A trufa é larga e fortemente pigmentada de preto. Ela está colocada na mesma linha da cana nasal. O vértice superior se encontra ligeiramente atrás em relação ao início das bochechas. As aberturas são grandes e adequadas a uma fácil respiração. O focinho é de comprimento menor que o crânio. Normalmente 40% do total da cabeça. Sua largura é de 2/3 do crânio. É muito largo na base, diminuindo ligeiramente até a trufa. A cana nasal pe placa e de perfil reto e sem curvaturas. Os lábios superiores são aderentes, sem excesso e em sua junção, vistos de frente, formam um "V" invertido. Os lábios e as bochechas são ligeiramente divergentes. O interior dos lábios é de cor escura.A mordedura é em forma de tesoura também admitindo-se em forma de torquês. Os caninos apresentam ampla distância transversal. Os dentes são longos com base de implantação muito forte, de molares grandes, incisivos pequenos, caninos bem desenvolvidos e com encaixe correto. Admite-se um ligeiro prognatismo. Os olhos são ligeiramente ovais, de tamanho médio a grande, com boa separação, brevelíneos, nem profundos nem protuberantes. As pálpebras são pigmentadas de preto e bem aderentes, nunca caídas. A cor oscila desde o castanho escuro ao médio e sempre de acordo com a pelagem. Nunca são claros. As orelhas são de tamanho médio, bem separadas com pêlo curto e fino caindo sem esforço ao lado da cabeça. Se dobradas são em forma de rosa. A inserção é ligeiramente superior à linha prolongada dos olhos. 

Pescoço/Tronco

O pescoço é mais curto do que o comprimento total da cabeça. A borda inferior apresenta a pele solta, o que contribui para a formação de uma leve barbela. O pescoço é macio, reto, com tendência a cilíndrico e muito muscoloso. O tronco é longilíneo, largo, profundo e seu comprimento supera à altura da cernelha em 18-20% sendo essa diferença mais acentuada nas fêmeas. O flancos são pouco marcados. A linha superior é reta, sem deformações, sustentada por uma musculatura bem desenvolvida, porém pouco visível. A garupa é média, larga e arredondada. Nas fêmeas a garupa é normalmente mais larga. O peito é de grande amplitude com músculos peitorais bem marcados. Sua profundidade deve chegar no mínimo ao cotovelo, tanto de perfil como de frente. O perímetro torácico é normalmente igual à altura na cernelha, mais 45% dessa. As costelas são bem arqueadas. A linha inferior é ligeiramente recolhida em linha ascendente mas nunca descendente.

Cauda

A cauda é grossa na raiz estreitando-se até a ponta e não deve ultrapassar o jarrete. É de inserção média. Quando em ação se eleva em forma de sabre, sem enroscar ou avançar sobre o dorso. Em repouso é reta com uma ligeira curvatura na ponta.

Membros

Anteriores: Os ombros tem com boa inclinação e os braços são bem angulados, oblíquos e com antebraços perfeitamente aprumados, retos, de ossos largos e com boa musculatura. Os cotovelos: nem muito aderentes as costelas, nem muito afastados. A distância dos cotovelos ao solo representa normalmente 50% da altura total dos machos e ligeiramente menor nas fêmeas.Os metacarpos: muito sólidos e ligeiramente inclinados. As patas anteriores tem  pés de gatos com dedos arredondados e não muito juntos. As almofadas plantares são muito bem desenvolvidas e pretas. As unhas são escuras. Os posteriores são fortes e paralelos, sem desvio. As coxas são longas e bem musculosas. As angulações não são muito marcadas, sem serem retas e os jarretes são bem descidos. As patas posteriores são ligeiramente mais longas do que as patas anteriores e de características similares.  

Movimentação

O cão, quando em movimento deve cobrir muito terreno de forma ágil e elástica. A passada deve ser longa. O porte da cauda é baixo e apenas eleva a cabeça sobre a linha dorsal. Quando em atenção a posição da cabeça é erguida e a cauda também.

Pele/Pelagem

A pele é grossa e elástica. É frouxa no pescoço e ao redor. Quando cão está atento forma várias rugas simétricas, na cabeça. O pêlo é curto, rústico, bem acamado, sem subpêlo e apresenta uma certa aspereza ao toque (pescoço e garganta). Nas orelhas é muito curto e fino e ligeiramente longo na cernelha e na crista das ancas. As cores vão do tigrado em todos os tons desde o escuro forte até o cinza muito claro ou vermelho. Fulvo em todos os tons até cor de areia. O branco pode aparecer no peito, na base do pescoço ou na garganta, nas patas e dedos posteriores, sendo desejável o mínimo possível. As máscara é sempre preta sem ultrapassar a altura dos olhos.
Tamanho/Peso A altura da cernelha é para os machos de 60 a 65 cm e para as fêmeas de 56 a 61 cm. O peso mínimo para os machos é de 50 kg e para as fêmeas de 40 kg.


Maiores informações sobre a essa raça nos sites: www.caneclub.com.br ou www.dogocanario.com.br 

Texto do criador: Eduardo Luis de Oliveira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

HUSKY SIBERIANO

HUSKY SIBERIANO

Existe mais de uma versão sobre o aparecimento dessa raça. O que se sabe é que ela é originária do Alaska e era utilizada para puxar trenós e pastorear gados. A partir dos anos 80  foi introduzida como raça de companhia e segundo especialistas sofreu pouquíssimas transformações ao longo dos anos. É um animal com aparência bastante singular chegando a ser confundido com um lobo se olharmos pela parte traseira. É vigoroso e elegante com corpo bem proporcionado com porte  avantajado.

É dócil, amigo e gentil até com pessoas estranhas à família embora muitas pessoas acreditem, devido à sua aparência, ser um animal de mau temperamento. É muito inteligente sendo de muito fácil treinamento entretanto não é num cão adequado para guarda pois faz o gênero amigável e não agressivo. Geralmente ele recebe os visitantes com uma cheirada e como demonstração de boas vindas abana o rabo.Por ser muito independente nem sempre atende as chamada, pois tem temperamento auto-suficiente para ignorá-las.  Por serem muito brincalhões têm uma relação muito boa com as crianças pois isso sempre significa folia e diversão. Deve-se entretanto ter cuidado com crianças muito pequenas pois elas podem ser facilmente derrubadas por eles.

Os Hyskies, quando filhotes são muito arteiros por isso devem ser treinados, desde cedo, com liderança e respeito, para gastar energia e na fase adulta deixar de lado grandes travessuras embora sempre vá conservar um certo grau de imaturidade. Por essa atividade impressionante precisa de muito exercício. O ideal é cria-los em ambiente espaçoso onde possam correr à vontade. Entretanto diante da impossibilidade de ter grandes espaços é necessário levá-lo para passear diariamente de preferência mais de uma vez por dia  para distrai-los e cansa-los. Se esta raça for privada de exercício tende a ficar teimosa e destrutiva.

Como regra geral é um animal silencioso  mas quando late, o que dura poucos minutos, parece o uivo de um lobo. A pelagem é muito densa e necessita muitos cuidados pois vão se formando gomos ou tiras de pêlo dando-lhe um aspecto desagradável. Esta pelagem foi desenvolvida para proteger os cães dos rigores do inverno e também quando da necessidade de adentrar em locais onde exista vegetação densa.

A altura máxima desse cão é de 70 cm e o peso que oscila entre 38 a 42 quilos.

Apesar de ser uma raça rústica e bastante resistente está sujeita a algumas doenças ligadas a visão como atrofia progressiva da retina e a catarata juvenil, que se não tratadas podem provocar a perda parcial ou total da visão. Outra doença é a distrofia da córnea que provoca a perda de acuidade da visão sem entretanto provocar cegueira.

Também são muito comuns o eczema alérgico úmido, o hipotireoidismo e a otite. Entretanto a atenção e a prevenção com visitas freqüentes ao veterinário podem-se evitar parte dessas doenças.

Para saber mais sobre esta raça entre em contato com o Clube do Husky Siberiano do Estado de São Paulo – tel: (11) 4703.5968 ou através do e.mail: siedog@tisd.net do Estados Unidos – Siberian Husky Club da America.

Bibliografia: Revista Cães e Cia,  Cães – Enciclopédia Universal (Ao Livro Técnico) e o Cão (Editora e Distribuidora de Livros Ltda)

 

 

 

 

 

 

 

FILA BRASILEIRO

Exemplar do Villier Ulmo Kennel

FILA BRASILEIRO – O Cão de Guarda 

“ A melhor forma de ensinar um Fila como qualquer outro cão é ter muito carinho e paciência e sem o uso da força” (Christiane Ulmo – Criadora e Assessora Cinotécnica – Villier Ulmo Kennel)) 

O origem desse cão brasileiro, que tem admiradores em todo o mundo, é bastante obscura. Supõe-se que descenda do antigo Buldogue Inglês, do Bloodhound e do Mastife Inglês.

Essa raça, ou cruzamentos delas, teria sido trazida ao Brasil pelos portugueses e espanhóis. Ao longo da história, sempre teve função de guarda em casas e, principalmente, fazendas que é o seu habitat. Além da natural aptidão para a guarda, funcionava também como cão de pista, por seu excelente faro (provável herança dos Bloodhound) colaborando na captura de escravos fugitivos. É usado como boiadeiro, uma de suas características marcantes. 

Dono de uma coragem excepcional aliada a uma tenacidade implacável, o Fila é cão de grande vigor físico, bravura e coragem. Possui temperamento dócil, é obediente e devoto aos donos além de ser muito tolerante com crianças, mas tem aversão a estranhos, não admitindo intimidades. 

O Fila Brasileiro é considerado um membro da família, pois são tão apegados aos seus donos e afetuosos com as crianças da casa, que podemos chamá-los de carentes. É o tipo de cão que gosta de participar do ambiente familiar.Quando estão brigando ou latindo não atendem com muita freqüência aos seus chamados, mas são obedientes durante as brincadeiras, o passeio, os descansos e nas horas de refeições. 

O Fila não pode viver em confinamento. Necessita de espaço para fazer exercícios e crescer sadio. O canil ideal não deve ter chão escorregadio, para não prejudicar os aprumos e deve ser abrigado da umidade e vento. 

Como cão de guarda são excepcionais, inclusive quando se trata de defender seus donos, a quem respeitam e dão muita intimidade. Dificilmente brincam com estranhos ou atendem a seus chamados, não permitem ser afagados por eles e quase nunca demonstram prazer na sua companhia. Valentia, coragem e determinação são elementos essenciais à raça. São altamente eficientes para evitar tentativas de roubo ao local onde vivem e demonstram boa capacidade de aprendizado para se  tornar um animal educado para servir ao seu dono obedecendo-o mos momentos em que for requisitado.. São relativamente indiferentes aos trovões, rojões e bombinhas, e dotados de um nível muito bom de equilíbrio e controle.  

Características 

País de origem: Brasil

Utilização: boiadeiro,guarda e defesa.

Altura: Machos: 65 a 75 cm e as fêmeas: 60 a 70 cm.

Peso: as fêmeas devem ter o mínimo de 40 quilos e para os machos 50 quilos.

Aspectos Gerais: Ossatura grande e forte, com músculos bem desenvolvidos. O corpo é retangular e compacto, mas harmonioso. A pele é grossa, solta em todo o corpo, principalmente no pescoço. É mais longo do que alto, bem proporcionado e simétrico.

Pelagem: curto, macio, liso e espesso e todas as cores são admitidas. Tanto sólidas quanto tigradas, exceto o branco e cinza-rato.  São também permitidas marcas no peito e na ponta das patas e na ponta do rabo.

Longevidade: 12 anos.

Temperamento: fiel, obediente, corajoso, devoto e tolerante com crianças. Tem agressividade alta mas controlada e atividade física moderada.

Área de criação: grande.

Maiores informações sobre a raça – Villier Ulmo Kennel  com a Criadora Christiane Ulmo pelo site: www.villierulmo.com.br 

 

 

 

 

 

 

 

KUVASZ   

Exemplar do Villier Ulmo Kennel

KUVASZ 

Esta raça foi desenvolvida para atender as necessidades dos pastores em proteger seus rebanhos dos ataques de homens e animais. Esta raça deveria ser corajosa, inteligente, ter espírito de combatividade, ser forte e veloz e resistente a intempéries ou seja um cão protetor.

Esta raça é descendente do Mastin do Tibet e a interpretação do significado do seu nome (kuvasz) é para os húngaros “ cão que guardava e corria em volta dos cavalos” e para os turcos o significado era “ guarda seguro”.

Esta raça é fascinante pois além de ser extremamente bela e dócil é de uma bravura inigualável estando sempre pronto para o trabalho.

É um cão dedicado à família e incapaz de ferir uma criança pois sabe distinguir muito bem os limites de sua força. É inteligente, tem personalidade forte, é educado, curioso e desconfiado com estranhos. É fácil de adestrar mas precisa ser tratado com respeito como um verdadeiro membro da família e ser socializado muito cedo sempre entendendo que quem manda é o seu dono.

Os filhotes são muito ativos e brincalhões, mas no entanto, o perfil do cão adulto é o de um cão calmo, tranqüilo e muito elegante.

São cães muito sensíveis, não gostam de ficar presos pois podem se tornar mais agressivos uma vez que adoram companhia. São utilizados como companhia e guarda que fazem instintivamente e com muita competência.

É um cão de  passo é lento, bem estudado. O trote apresenta um movimento lateral. Esse cão é capaz de trotar continuamente cerca de 25 a 30 Km sem nenhum esforço.  

CARACTERÍSTICAS 

Cabeça

O crânio é alongado sem ser pontiagudo. De tamanho médio e bem largo. A base da cabeça é grande. Da linha reta do crânio surgem as orelhas, situadas nos lados da cabeça. Sulco frontal pronunciado. Os arcos superciliares estão moderadamente desenvolvidos. A linha do “stop” é moderadamente oblíqua e com uma curva ampla. O focinho preto é reto e estreito sem chegar a ser pontiagudo. O sulco longitudinal da fronte se projeta sobre o focinho. 
As bordas das pálpebras e dos lábios são negras. A cana nasal é extensa, larga e musculosa. A dentadura é bem desenvolvida, forte e regular, com mordedura em tesoura. Os lábios aderem aos arcos dentários e são guarnecidos nas comissuras.
Os olhos são oblíquos, amendoados, castanho-escuros ou pretos. O olhar revela freqüentemente uma certa ferocidade. As
bordas das pálpebras estão bem unidas ao globo ocular, de cor preta. Da parte superior do crânio nascem as orelhas, colocadas horizontalmente e dobradas na base. Estão separadas da cabeça em seu terço superior, voltando a cair sobre esta. O pavilhão tem a forma de um "V" arredondado. 

A linha do pescoço forma um ângulo de 25 a 30º com a linha horizontal que passa por sua base. De extensão média, mais para o curto, é muito musculoso. A nuca é curta e não apresenta saliência. 
.

Corpo

A cernelha, elevada nitidamente acima do plano dorsal, é grande; o dorso, médio; a parte inferior da região lombar é curta; garupa levemente afundada, larga e com musculatura farta. A pelagem abundante ressalta a garupa  dando a impressão de ser mais alta do que a frente. O peito é bem rebaixado, grande sem ser muito largo. No centro do peito aparece uma proeminência formada pelo esterno e uma forte musculatura. O ventre está bem jogado para trás. O rabo é de inserção baixa, na continuação da garupa, indo para baixo até o jarrete. A extremidade do rabo apresenta uma volta para cima, mas sem nunca se enroscar. Quando o cão está em estado de atenção ou Excitado, o rabo se ergue acima da região lombar.

Membros

Anteriores:
A caixa torácica baixa, mas não muito grande, e redonda do Kuvasz facilita a posição oblíqua da extensão das omoplatas.
Os cotovelos não se retraem debaixo da caixa torácica estão bem juntos a ela. As extremidades sustentam verticalmente o tronco, sua
direção é reta para baixo (vertical). O antebraço é grande e de musculatura seca. No sentido do carpo, os membros se prolongam mediante ligamentos fortes e secos. As articulações bem como o carpo também são delgados. 
A direção do metacarpo e a linha horizontal, formam um ângulo de 45º. Os pés são tensos, fechados estreitamente. Existe pouco pelo entre os dedos. As plantas dos pés são elásticas. A posição das extremidades anteriores é de amplitude média e regular. As unhas devem ser bem desenvolvidas, de cor negra ou cinza.
Posteriores:
As extremidades posteriores são de inserção alta. A amplitude do ângulo coxo femural é de 90º;o ângulo femurotibial é de 110º a 120º e o ângulo tíbio-tarsiano é de 130º a 140º. As coxas e pernas têm boa musculatura. Os jarretes são grandes e largos. O tarso é vertical. O metatarso é mais abrupto que o metacarpo. Os pés são maiores do que os dos membros anteriores e igualmente fechados. As plantas são elásticas e tensas. As unhas apresentam-se bem desenvolvidas de coloração cinza-escuro. Os esporões devem ser retirados.

Pele e Pelagem

A pele é muito bem pigmentada, de cor cinza, As pálpebras, a trufa e os lábios são negros. As solas dos pés são negras ou cinzas. O palato deve ser de coloração escura. O ventre tem pigmentação de uma só cor e deve ser escuro. A língua apresenta um vermelho vivo. Também é admitido uma pigmentação manchada sobre fundo colorido. A cabeça é coberta por pêlo curto, reto, apertado e espesso, de 1 a 2 cm de comprimento; como também as orelhas e os pés. A frente e os costados das extremidades anteriores, como também a parte interior dos membros posteriores, estão cobertos por um pelo igualmente curto. 
A pelagem do tronco, do braço, das patas e do rabo apresentam ondulação e é de comprimento médio, de 4 a 14 cm, formando freqüentemente cristas e mechas. A pelagem é bastante densa, ondulada, um pouco dura. Debaixo desta pelagem aparece um subpelo lanoso mais fino. No pescoço aparece um colar que se estende até o peito. Os membros ostentam franjas de 5 a 8 cm de comprimento. Toda cauda está coberta por um pelo abundante e ondulado. A parte inferior da cauda é o local onde aparecem os pelo mais compridos, de 10 a 15 cm. 


A pelagem do cão apresenta-se brilhante, ondulado ou lisa e espessa. A cor da pelagem deve ser branca.

Peso e Tamanho

Altura média medida na cernelha: 71 a 76 cm nos machos e 66 a 70 cm nas fêmeas. Peso: machos de 42 a 50 Kg; fêmeas de 30 a 42 Kg. O comprimento da cara é de 42% da cabeça, e é tolerável até 50%. O comprimento das orelhas é de 50%. 

 

Colaboração do Kuvaszok Kennel 

 

 

 

 

 

 

 

 

SAMOIEDA 

SAMOIEDA 

O Samoieda é descendente distante dos cães utilizados pela tribo do Samoyedos, uma população “pré-mongólica” que viveu há mais de 5 mil anos nas geladas regiões da Sibéria.

Esses cães sempre cumpriram um papel importante para o povo siberiano. Puxavam trenós, carregavam cargas, ajudavam na caça de animais (ursos) e protegiam grandes rebanhos de renas.

Os Bjelkiers (como eram chamados) nasciam dentro das tendas e conviviam estreitamente com a família.

A civilização ocidental conheceu o Samoieda através de Fridtaz Nansen, um explorador norueguês. Nansen adquiriu 40 exemplares da raça importados da Sibéria e com eles realizou uma expedição à Groelândia. Este aristocrata tornou-se o primeiro grande criador do Ocidente.

Em 1897, o explorador Robert Scott levou alguns exemplares desse cão para a Inglaterra. Tamanha foi a popularidade que a raça conseguiu conquistar nesse País, que, em 1909, os ingleses decidiram importar um grupo de reprodutores, iniciando, assim, uma criação metódica da raça.

A partir de então, ela começou a se difundir pelo mundo todo. No Brasil, o Samoieda foi introduzido em 1975, através do Sr. Werner Deghenrdat. Mas, dada à qualidade excepcional do plantel, ele tem sido largamente reconhecido e desfrutando de grande popularidade.

Características: O Samoieda é um cão bonito, forte, ativo e dinâmico. Sua cabeça, como boa parte do Spitz, é potente e com forma de uma cunha. A capa, com subpêlo bem fechado, é impermeável e o pêlo exterior duro e reto, é geralmente branca e nela sobressaem os olhos bem escuros com nariz e aberturas labiais negros.Esse animal se locomove com muita rapidez e desenvoltura. A cauda tem pelagem abundante, é longa e imponente ficando enrolada sobre o dorso,quando o animal anda ou está atento a qualquer coisa.

Pelagem: É dupla, abundante, rústica, flexível e densa. Tem subpêlo curto, suave, denso e serrado. Os pêlos mais longos, retos e duros, atravessam o subpêlo para armar a pelagem externa. O pêlo forma uma juba em torno do pescoço e sobre os ombros, emoldurando a cabeça, principalmente, nos machos. O pêlo é curto e liso, na face externa das orelhas, na cabeça e na face anterior dos membros. A base das orelhas é bem guarnecida de pêlos. Nos espaços interdigitais encontram-se os pêlos de proteção.

Cor: Branca, creme e biscoito.

Altura: altura ideal para machos é de 54 a 60 cm e das fêmeas de 50 a 56 cm. O peso varia de 20 a 30 kg.

Faltas graves: olhos amarelos; orelhas caídas; estrutura fraca; ossatura leve; jarretes de vaca acentuados; pêlo ondulado; longo; fraco e escorrido; características indefiníveis; cauda em gancho duplo; desconfiado.

Desqualificação: olhos azuis ou bicolores, prognatismo superior ou inferior; qualquer cor de pelagem não descrita nesse padrão e natureza desconfiada ou agressiva.

Colaboração do CANIL LUANDA'S das proprietárias Gilvanete e Monica Flores Coelho. Tel: 55(21) 3327.6055 e 9638.8241. O Canil Luanda'a também cria, além do Samoieda, Schnauzer Mini e o Malamute do Alaska. Acessem o site: www.luandas.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Bernese

Bernese

A origem do nome “Bernese MontainDog” vem da expressão alemã “Berner Sennenhund”, que significa Cão Pastor dos Alpes Berneses. O primeiro nome da raça foi “Dürrbäch”, em homenagem ao lugar onde esses cães eram vendidos

A raça surgiu graças aos soldados romanos que, quando invadiram a Suíça, trouxeram os cães da raça Mastiff para fazer guarda e pastoreio. O cruzamento do cão dos romanos com cães pastores, que viviam no interior da região de Berna, na Suíça, deu origem a 4 raças montanhesas suíças: Swiss Mountain Dog, Appenzel Mountain Dog, Entiebucher Sennenhund e Bernese Mountain Dog.

Esses animais são sempre alertas, cheios de energia, atenciosos, companheiros, amigos, não têm o hábito de morder e latem raramente. Eles têm boa índole, são leais, afetuosos e muito dóceis com crianças e outros animais mas desconfiam de estranhos sem entretanto ter atitude agressiva. São inteligentes mas necessitam de um treinamento paciente. Os Berneses têm o físico avantajado e não são animais indicados para viverem em apartamentos nem tampouco ficarem isolados no jardim de uma casa pois necessitam de atividade física. Seus donos devem estar preparados para leva-los em curtas caminhadas e reservar parte do seu tempo de folga para interagir como cão e deixa-lo fazer parte da rotina diária da família. São considerados bons cães de alarme, mas, embora seja um cão grande não é indicado para guarda porque dificilmente toma a iniciativa de um ataque. É um cão que necessita cuidados tais como sessões semanais de escovação e utilizarem uma ração de primeira linha pois bem alimentados se evita a ida freqüente ao veterinário. A expectativa de vida desse animal é de 6 a 9 anos.

Características da raça 

Tamanho

63 a 70 cm nos machos e 58 a 66 cm nas fêmeas

Corpo

A ossatura é resistente, o pescoço é forte, musculoso e de comprimento médio. O peito é largo, forte e bem saltado. A parte traseira é larga e firme, o quadril é forte e a garupa é larga e arredondada. A cauda é bem peluda e deve ser carregada para baixo quando o cão está em repouso

Tem expressão  inteligente, os olhos são marrons escuros e as pálpebras ligeiramente ovais. As orelhas devem ser de tamanho médio, triangulares, arredondadas delicadamente na ponta e, em repouso deve cair perto da cabeça. O alto da cabeça é liso e largo, o nariz é sempre preto, o bucal é forte e em linha reta. O canto da boca está sempre limpo, pois o Bernese é uma raça que não baba, os beiços são ligeiramente caídos e desenvolvidos. Os dentes encaixam-se perfeitamente, em mordedura em forma de tesoura. A dentição é completa.

Estrutura Superior e Posterior

Os ombros são moderadamente descontraídos, bem musculados e nunca frouxos. Os pés são retos e fortes e os cotovelos devem estar bem sob o ombro quando o cão está parado. Os pés inclinam-se ligeiramente, mas nunca são fracos. Os pés são redondos e compactos e os dedos bem encaixados.

As coxas são largas, fortes e musculosas. Os joelhos são dobrados moderadamente e encaixam-se perfeitamente com a “canela” As “canelas” são fortes e devem estar alinhadas a todo conjunto da parte traseira.O quinto dedo deve ser removido. Os pés são retos e compactos e não giram nem para dentro nem para fora.

Pelagem

O pêlo é ligeiramente ondulado, profuso, aderente e macio. Tem um tom naturalmente brilhante. Não devendo ser aparado ou tosado. A cor do Bernese é tricolor. A cor predominante é o preto e as outras duas dores são o branco e  o dourado. A simetria das cores é desejada. A cor dourada aparece sobre cada olho, nos mordentes que alcançam o canto da boca, em cada lado do peito, nas 4 patas e sob a cauda. Há uma faixa branca da cabeça até o focinho.

Erros na raça  

Olhos azuis; Torção na cauda; Pelagem extremamente curta ou com um visual pesado; Cor predominante da pelagem sem ser o preto; Arcada dentária para frente ou para trás.

Para maiores detalhes sobre a raça Bernese acessem o site: www.bernese.com.br que a Paula terá o máximo prazer em ajudá-los.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cão D'Água Português

Exemplar do Canil Cristalmar

Cão D'Água Português

Origem

A origem dessa raça é de Portugal, Algarve e são descendentes de cães com mais de 300 anos que saíram da Ásia, chegaram ao Oriente Médio e, de lá foram levados pelos Mouros à Península Ibérica. Por desconhecimento dos donos de cães as vezes é confundido com a raça Poodle. 

Temperamento

É um cão inteligente, alegre, obediente, dócil, afetuoso, leal, simpático e tem muita energia. Adora água sendo excelente nadador e mergulhador mesmo em idade avançada. A expectativa média de vida é de 12 anos. Gosta muito de ficar junto de seu dono e familiares querendo sempre agradar  e participar de tudo como centro de atenções. É de muito fácil adestramento. É bom guia, buscador e farejador. Tem muito boa relação com crianças e outros animais e é um cão especial de trabalho e bom companheiro. Como essa raça não tem sub-pêlo e não troca a pelagem são tolerados por pessoas alérgicas. Eles latem muito pouco, por isso alguma agressividade nesse animal é considerada como desvio de temperamento.

Estrutura

Tem porte médio, quadrado, cabeça larga, musculoso tem cauda em forma de gancho e  focinho largo.  A altura é de 50 a 57 cm para os machos e de 43 a 50 cm para as fêmeas. O peso varia de 16 a 25 kg. A pelagem pode ser  preta ou marrom ou mistura de ambas combinando com branco, podendo ser longa ou encaracolada.

Ambiente Ideal

Esse cão tem total interação em qualquer ambiente. Adapta-se bem ao clima do Brasil e pode viver em apartamentos desde que realize exercícios diários pelo menos de uma hora após completar 1 ano de idade. Seria ideal que esse cão pudesse viver em  lugares que tenha água onde possa nadar e mergulhar para buscar  bolas arremessadas. Não são cães que se adaptam a viver longe de seus donos ou isolados em canis.

Alimentação

Deve consumir 300 gramas de ração seca premium e alguns “petiscos” como: frutas e sardinha crua ao dia. 

Doenças

Embora seja uma raça forte em relação a doenças as mais comuns da raça são a dermatite devida a pulgas e outros insetos, a Displasia, a Catarata e a Atrofia da retina.

Texto e foto cedidos pelo Canil Cristalmar

Maiores Informações pelo site:  http://cristalmar.tripod.com   Atenção  Sr. José Carlos Fontes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Buldogue Americano

Exemplar do criador Dr. Claudiano Araújo

Buldogue Americano

Origem

A raça é originária dos Estados Unidos´e é baseada no chamado "bulldog antigo" - Século 17 - Inglaterra. Quando os ingleses proibiram a lutaa de cães contra touros e as "rinhas" de cães a raça original foi modificada até se tornar o "bulldog" inglês, cuja função se restringe, hoje, a companhia e exposições de beleza. Ao mesmo tempo os exemplares do "bulldog" antigo que foram levados para os Estados Unidos continuaram a se  desenvolver na sua forma original, sendo usados em esportes de caça a porcos selvagens e touros, bem como na proteção de propriedades rurais no sul dos EUA e vieram a dar origem, graças ao trabalho de pioneiros como os senhores Johnson e Alan Scott, ao Bulldog Americano atual, grande, forte e com todas as características para o qual foi originalmente "desenhado", o cão "toureiro".

Temperamento

É um cão inteligente, amigável, obediente e equilibrado. É forte, corajoso, tem muita resistência e sobriedade. Alguns exemplares são resistentes com outros cães ou estranhos, não sendo isso considerado falta da raça. É um cão de alerta e responde muito bem a treinamentos desde que aplicados por profissionais competentes.

Estrutura

Os machos devem ter entre 58 a 75 cm na cernelha e pesar de 41 a 68 kg. Já as fêmeas devem ter entre 51 a 70 cm na cernelha e pesar de 32 a 59 kg. O peito deve ser profundo e largo sem ser excessivamente largo a ponto de empurrar os ombros para fora. As pernas dianteiras devem ser fortes e retas (não arqueadas) e as traseiras devem ter uma angulação visível da junta da rótula. A ossatura dianteira deve ser pesada o suficiente para o tamanho do cão pois a aparência de força do animal é fortemente determinada pelo seu peito. Os quadris devem ser amplos e musculosos. A cabeça pode ser quadrada ou arredondada devendo ser musculosa com bochechas levemente pronunciadas. Esse animal é prognata e tem o focinho largo mas não muito longo e fino. Os olhos são amendoados ou redondos, de tamanho médio nas cores, marrom (a mais comum), cinza, verdes ou azuis. As orelhas são médias a pequenas, encostadas na cabeça ou do tipo "roseta" (como os "buldogues ingleses")

Pelagem A pelagem é curta, rente ao corpo e macia. Não deve ser longa ou felpuda. As cores variam da branca com tigrado ou vermelha. A vermelha é definida como qualquer tonalidade de canela, marrom ou mesmo vermelha. A cauda é grossa na raiz afinando-se na direção do cotovelo traseiro do cão. Muitos cães, entretanto, trazem a cauda acima da linha do dorso, especialmente quando estão caminhando ou muito excitados.  A cauda cortada é considerada uma falta estética.

Ambiente Ideal

Embora essa raça seja indicada para grandes espaços adapta-se bem a apartamentos desde que seja levada a praticar exercícios diários.

Alimentação

Deve consumir ração seca de boa qualidade e na quantidade indicada pelo criador e/ou veterinário.

Texto e foto cedidos pelo criador Dr. Claudiano Araújo - Responsável pelos trabalhos de  formação da Associação Brasileira de Criadores de American Bulldog (em processo de implantação)

Maiores Informações sobre a raça pelo site:  http://www.terra2.com/ab 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

West Highland White Terrier

Exemplar da criadora Ana Marra

West Highland White Terrier

Westie

A origem dos West Highland White Terrier (Westie) é da Escócia, embora os primeiros registros dessa raça tenham aparecidos na Inglaterra em 1917. Inicialmente essa raça era utilizada como caçador de raposas embora hoje seja um animal de companhia. 

Aparência Geral

O animal é solidamente construído, robusto e musculoso, tem peito bem profundo assim como as últimas costelas. O dorso é reto. Os membros posteriores são bem musculosos, comprovando, evidentemente, a magnífica combinação da força com agilidade. Tem uma movimentação bem desembaraçada.

Características

É um cão pequeno, ativo, repleto de energia, rústico, dotado de uma boa dose de amor-próprio, com um ar maroto. É vivaz, alegre, corajoso, independente mas muito afetuoso.

Cabeça e Crânio

O crânio tem boa ossatura, com a linha superior ligeiramente arqueada. Visto de frente apresenta um contorno homogêneo.  O crânio, desde as orelhas até os olhos apresenta um sutil afilamento. A cabeça é revestida de pelagem densa e forma um ângulo reto ou agudo em relação ao eixo do pescoço. Os maxilares são fortes, amplos e de igual comprimento. Os dentes são grandes e apresentam mordedura em forma de tesoura, ou seja os incisivos superiores recobrem os inferiores em contato justo.Os olhos são bem separados, de tamanho médio, amendoados, profundos e o mais escuros possível. São vivos e inteligentes, o que, sob os supercílios rústicos conferem um olhar penetrante. As orelhas são pequenas, eretas e portadas firmemente e terminam pontiagudas. Não são nem muito afastadas nem muito próximas. Os pêlos das orelhas são curtos e lisos (aveludado) e não muito abundantes.

Corpo

O pescoço é de comprimento suficiente para permitir o almejado porte correto da cabeça. É musculoso espessando gradualmente para a base de maneira a fundir-se com os ombros bem oblíquos. O tronco é compacto, o dorso reto e o lombo são largos e fortes. O peito é bem profundo, as costelas bem arqueadas na metade dorsal, apresentando um aspecto um tanto plano. A cauda tem um comprimento de 12,5 a 15 cm, revestidas de pelagem dura, sem franjas, tão dura quanto possível. Deve ser alta sem ser empinada.

Membros

Anteriores: Os ombros são inclinados para trás. As escápulas são longas e bem amoldadas às paredes da caixa torácica. Os membros são curtos e musculosos, paralelos entre si, retos e revestidos de pelagem curta, dura e densa. As patas são maiores que as posteriores, redondas, fortes e revestidas por uma pelagem curta e dura. Posteriores: São fortes, musculosos e largos. Os membros são curtos e também musculosos. As coxas são musculosas e não muito afastadas. As patas são menores que as anteriores e são providas de coxins espessos.

Pelagem

A pelagem é dupla, dura de comprimento em torno de 5 cm, sem qualquer cacho. O subpêlo é curto, macio e fechado. A cor é sempre branca.

Tamanho

A altura é em torno de 28 cm

Maiores Informações sobre a raça pelos sites:  www.canilmarrachowest.vet.br e www.westiepaixaonacional.vet.br  Dúvidas podem ser dirimidas pelo e-mail: marrachowest@aol.com 

 

 

 

 

 

 

 

 

STAFFORDSHIRE BULL TERRIER

Jully, exemplar do Canil HARD FACE KENNEL

STAFFORDSHIRE BULL TERRIER

Esta raça tem como ancestral o antigo Bulldog que era usado em combates contra touros e ursos. Esses combates, realizados em arenas, eram chamados de Blood Sports (esportes sangrentos) ou Bull Baiting (lutas com touros).

Em 1835, com a proibição do Bull Baiting, surgiram as lutas clandestinas entre cães. Entretanto como as arenas eram muito grandes ficava difícil continuar com essa prática ilegal pois chamava muita atenção.

Assim sendo, para fugir das autoridades, os organizadores resolveram que os combates entre cães deveriam ser realizados em arenas menores. Nessa ocasião eles perceberam que o antigo Bulldog não se enquadrava à essa prática pois era muito grande (30 a 45 kg) e que embora muito eficiente no corpo a corpo contra ursos e touros careciam de agilidade quando colocados em rinhas.

Partindo dessa dificuldade foram introduzidos alguns Terrier Ingleses à raça que resultou em cães menores, mais ágeis, resistentes e determinados. O resultado desses cruzamentos resultou na raça Bull and Terrier (não confundir com o Bull Terrier).

Aliás,existem três raças que são confundidas com o Staffordshire Bull Terrier de origem inglesa.

São o American Staffordshire Bull Terrier utilizado como guarda, o American Pit Bull Terrier, selecionado para combate, e o Bull Terrier que tem o formato da cabeça completamente diferente pois não possui “stop”. Sua cabeça é longa e seus olhos são triangulares.

O nome dessa raça foi dado por um grupo de ingleses residentes na cidade de Staffordshire, (Inglaterra), daí a origem do nome acrescido de Bull do antigo Bulldog e de Terrier devido ao cruzamento que lhe deu agilidade, resistência e determinação. Em 1935, a raça foi oficialmente reconhecida e em 1939 o padrão dela foi estabelecido e adotado até os dias de hoje pela FCI.

A partir do século XX essa raça começou a conquistar o mundo, em especial a Austrália, África do Sul, Estados Unidos. Na Inglaterra, seu país de origem, a raça ocupa a oitava posição entre os cães mais registrados,é o terceiro entre os Terries e é a sétima raça mais popular do Reino Unido.

Se observarmos o padrão do Staffordshire Bull Terrier veremos uma série de características que são ótimas qualidades para o seu dia a dia. 

São animais campeões no “Agility”, “Flyball”, provas de conformação e obediência graças ao seu padrão que exige cães ágeis, ativos, fortes, musculosos, obedientes, inteligentes, controlados e educados.

Seu padrão também exige que sejam afetuosos, especialmente com crianças. Na Inglaterra eles possuem o apelido afetuoso de “nanny-dog” ou seja babás de crianças.

Essa raça é indicada tanto para casas ou apartamentos pois quase não late e seu pêlo é curto não necessitando de tosas. È um cão resistente a doenças e assim as visitas ao veterinário são esparsas, geralmente só para serem vacinados.

São ótimas companhias para caminhadas, praticar esportes, passar o dia no sofá ou andando de carro. Também é um animal, a exemplo do Labrador e o Pastor Alemão, utilizado em terapias em hospitais, escolas e asilos.

É considerado um cão de família, da criança e do idoso e só quem tem um Staffordshire Bull Terrier pode descrever o que é ver esse animal abanando o rabo, se sacudindo todo para chamar sua atenção, ganhar e dar muito carinho. 

Características

Aparência Geral

Musculoso, ativo e ágil. Corpo bem balanceado de grande força para o seu tamanho.

Pelagem

Lisa, curta e assentada. COR: vermelho, fulvo, branco, preto ou azul ou qualquer uma dessas cores com branco. Qualquer sombreado de tigrado ou qualquer sombreado de tigrado com branco. Preto e castanho (black and tan) ou cor de fígado são altamente indesejáveis.

Cabeça

Curta com crânio profundo e largo. “stop” distinto. Região facial com focinho curto, trufa preta. Maxilares fortes, dentes grandes com uma perfeita, regular e completa mordedura de tesoura. Lábios cerrados e secos. Músculos das bochechas muito pronunciados. Os olhos são preferencialmente escuros, redondos, de tamanho médio e inseridos de forma a olhar para a frente. As bordas das pálpebras são pretas. As orelhas são espessas, nem grandes nem pesadas.

Pescoço/Tronco/Ombros

O pescoço é musculoso, bastante curto, de bom formato alargando gradualmente para os ombros.O dorso é curto, linha superior plana e o peito tem a frente larga, esterno profundo, costelas bem arqueadas. É musculoso e bem definido. Ombros bem colocados para trás.

Cauda

Tem tamanho médio, inserida baixa, afinando para a ponta e portada baixa.

Membros

Anteriores:pernas retas, com boa ossatura e colocadas afastadas uma da outra. As pontas das patas são viradas um pouco para fora. Posteriores: bem musculosos, as pernas são paralelas quando vistas por trás. Os joelhos não são soltos, mas são bem angulosos e os jarretes bem descidos. As patas são acolchoadas, fortes e de tamanho médio. Unhas pretas em cães de cor sólida.

Comportamento/Temperamento

É um cão tradicionalmente de coragem indomável e tenacidade. Altamente inteligente e afetuoso, especialmente com crianças. É corajoso, intrépido e totalmente digno de confiança.

Tamanho e Peso

Altura na cernelha: 35,5 a 40,5 cm. Peso: Machos: 12,7 kg a 17 kg. Fêmeas: 11 kg a 15,4 kg.

Movimentação

Movimenta-se de forma livre, poderosa e ágil com economia de esforço. As pernas movimentam-se paralelamente quando vistos de frente e por trás. Perceptível propulsão dos posteriores.

Colaboração de Ricardo Gomes, proprietário do Canil HARD FACE KENNEL que cria Staffordshire Bull Terrier. Maiores informações no site www.hardfacekennel.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RETRIEVER DE LABRADOR

Jack - exemplar da Dani Carlini

RETRIEVER DE LABRADOR

Existem duas hipóteses sobre a origem dessa raça. A primeira é que ela teria surgido na península do Labrador e a segunda e mais provável é que sua origem seria da ilha de Terranova. Atualmente esta raça é criada, principalmente, no Canadá, Estados Unidos e Grã-Bretanha. 

Esse animal é muito inteligente, observador podendo repetir atos que seus donos fazem como perfeição, tais como abrir armários, gavetas e até torneiras. Tem um faro muito apurado, por isso, no passado, tinha como principal função  buscar coisas perdidas pelos barcos e desenganchar redes. Por ser um extraordinário Retriever ele adorava esse serviço entrando tanto em águas frias ou mornas. Tem também ótimo desempenho em terra. Esse cão é super calmo, late muito pouco, não é agressivo, mas protege o dono, chegando a dar a sua própria vida pó ele. É super dócil, brincalhão e adora crianças fazendo o estilo paciente. Como ele é super apegado ao seu dono e à família se fica longe deles entra em depressão e chega até a morrer de tristeza, por isso não é aconselhável deixar esse cão sozinho. A raça é muito social com outros cães e outros animais, como gatos, desde que tenham sido criados juntos. Um pouco mais difícil é sua convivência com pássaros já que a raça é especialista em caçá-los e seu instinto volta e meia, vem à tona. 

Não é considerado com cão com boas habilidades para guarda pois aceita estranhos com muita facilidade. Geralmente vai receber visitantes na porta da casa mas assim que eles entram já são recebidos com lambidas, pulos e abanos de cauda.  Parece que essa raça encara o ser humano como um amigo em potencial. 

Em alguns países esse cão é utilizado para executar tarefas difíceis como guiar cegos e atuar em trabalhos de busca e resgate. É um excelente cão de companhia, ótimo companheiro em caçadas, dócil e fiel e de bom temperamento.  

Como essa raça é considerada “rústica” exige poucos cuidados com sua saúde. Entretanto, é aconselhável comprar exemplares que já tenham um histórico de controle da displasia coxofemoral, doença que acomete grandes animais. 

Seu pêlo curto e impermeável facilita sua adaptação a temperaturas mais baixas e à limpeza. Não é necessário dar banho toda semana pois pode ele pode desenvolver alguma dermatite. O ideal é escova-lo uma vez por semana para tirar os pêlos mortos. Deve-se ter cuidado na limpeza dos ouvidos. Como todo animal que tem orelhas pendentes há uma dificuldade na circulação do ar dentro dos ouvidos, deixando-os mais propensos a inflamações na região. O aconselhável é efetuar a limpeza uma vez por semana, usando produtos apropriados, e realizada por pessoas competentes senão pode-se ferir o animal. 

Como é um cão atleta por natureza o ideal seria cria-lo em ambientes grandes, pois eles gostam de andar, brincar, correr e nadar. Se o dono é aquele chegado à malhação vai ter no Labrador o companheiro ideal. Deve-se, todavia, condiciona-lo em alguma atividade bem cedo e ir aumentando lentamente o grau de esforço para evitar futuras lesões. Mesmo sendo um cão superativo pode viver em ambientes pequenos desde que seja levado, diariamente, para se exercitar. Como são cães que gostam de correr e brincar por conta própria, assim sendo leve-o para passear no mínimo duas vezes por dia e vá alterando trajetos e vá propondo corridas e brincadeiras durante o percurso.

Características:

Altura 56 cm a 57 cm (machos) e 54cm a 56 cm (fêmeas)
Corpo Robusto e com tronco curto com linha superior reta e paralela ao solo
Cabeça Crânio largo e com bochechas não muito proeminentes. Pescoço forte e sem pele solta, focinho robusto e não afilado. Olhos de tamanho médio, de cor marrom ou avelã e com expressão inteligente Mordedura em forma de tesoura, ou seja, com os dentes superiores fechando-se imediatamente adiante dos dentes da frente inferiores. Orelhas pendentes, rentes às laterais da cabeça não muito longas nem pesadas. Nariz bem desenvolvido e com narinas largas.
Pelagem Curta e impermeável nas cores amarelo claro e escuro, preto e chocolate. Cauda grossa na raiz inteiramente revestida de pelagem curta.

Em resumo o lema do Labrador é divertir-se e divertir seu dono.

 

 

 

 

 

 

 

Fox Paulistinha

GARIBALDO - exemplar da criadora Raquel Jevinski

Fox Paulistinha

O Brasil só possui 2 raças consideradas brasileiras. Uma é o Fila Brasileiro e a outra é o  Fox Paulistinha. Por volta do século 19, alguns exemplares da raça Jack Russel Terrier  trazidos da Europa foram cruzados com outros cachorros que viviam em fazendas,  resultando na raça Fox Paulistinha. Há criadores que acham que alguns exemplares são frutos de cruzamento do Jack Russel com Pincher Miniatura ou mesmo o Chihuahua grande. Essa raça é muito conhecida no Brasil mas praticamente desconhecida fora dele, embora pode-se achar exemplares na África do Sul, Estados Unidos, França, Finlândia, Portugal, Áustria, Espanha e no Japão. 

Esse animal é muito inteligente e alegre e aprende com muita facilidade tudo que é truque novo. Muito observador é capaz de repetir atos humanos que são feitos de forma repetitiva. Por exemplo: se o dono tem a mania de pegar os chinelos assim que chega em casa, assim que o dono chegar o Fox Paulistinha pode repetir o gesto indo pegar os chinelos para o dono.  Se o dono tem um horário certo de chegar em casa, depois de algum tempo, vai certamente encontrar o cão na porta esperando-o. Como característica eles fazem esse tipo de coisa sem precisar ser ensinado e têm também a disposição de assumir a guarda da família e sua propriedade. Embora seja um cão pequeno, de tamanho compacto é muito valente, claro que ele pode não assustar o ladrão mas sem dúvida dará o alerta ao mínimo sinal de movimento estranho. São meigos e afáveis com o dono e familiares mas são bastante desconfiados quando se trata de estranhos. Aceitam crianças desde que elas tenham sido educadas para não bater ou provocar os animais. 

São animais cheios de energia, adoram brincar e se exercitar sendo indicados para viverem em casas com espaço, embora se adaptam perfeitamente a apartamentos desde que sejam levados diariamente para passear, brincar ou seja gastar energia. Essa raça não é adequada para quem quer um cão deitado aos seus pés o dia inteiro. É uma raça super ativa e late um pouco mais se comparado com outros animais. Para não se tornar um cão destrutivo ele necessita de muita atividade mental e física.    

O Fox Paulistinha é um cão espirituoso, obediente , inteligente e muito amigo. Como é um cão com instinto de caçador não se deve confiar deixá-lo com animais pequenos. 

Tamanho Machos: 35 a 40 cm e Fêmeas de 33 a 38 cm
Peso Peso máximo de 10 quilos
Aparência Corpo de aparência quadrada, robusto sem ser pesado, de estrutura harmônica e esbelta. Tem movimentação elegante, livre e com passadas curtas
Pelagem e Cor Peso liso, curto, denso mas não macio. A cor predominante é o branco com machas pretas ou marrons, sendo comum o tricolor.
Cabeça Crânio triangular, largo na base, com bom afastamento das orelhas e estreitando a partir dos olhos, nariz com ´pigmentação escura, olhos redondos moderadamente salientes e bem escuros; orelhas pequenas em formado “V”, pendendo para a frente
Cauda Cortadas na altura da segunda vértebra
Expectativa de Vida De 13 a 16 anos

 

 

 

 

 

 

 

Dogue Brasileiro

Dogue Brasileiro

Esta raça foi desenvolvida no Brasil, especificamente na cidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, pelo criador Pedro Dantas, do Canil Tasgard e já uma raça reconhecida pelo CBKC.

Esta raça é o resultado do cruzamento da raça Boxer com o Bull Terrier.   Os primeiros resultados foram obtidos em 1978, graças à gentileza de um visinho do Pedro que solicitou que sua cadela Boxer fosse coberta por um Bull Terrier pertencente ao Canil Tasgard.

Com o aparecimento da primeira ninhada perceberam que haviam desenvolvido um cão de guarda com as características de tenacidade do Bull Terrier e o equilíbrio do Boxer, além do encontro perfeito entre agilidade e força.

Esse animal herdou a meiguice de ambas as raças para com as pessoas da casa e a característica de não ser “cão de um só dono”, o que evita acidentes.

O Dogue Brasileiro vem resgatar para a cinofilía a figura do cão de guarda efetivo, sujeito a provas de temperamento para obtenção de títulos, que visam manter e aprimorar cada vez mais a coragem calma e, principalmente, o equilíbrio emocional necessário a um cão integrado às famílias.

Características

Aspecto Geral – É um cão de aspecto sólido maciço, sem parecer atarracado ou desproporcionalmente pesado. É um cão ágil e forte com músculos fortemente marcados dando a impressão de grande potência e impulsão. É um cão com ossos fortes.

Temperamento e Comportamento -  Animal ativo, atento e observador, de expressão séria  com estranhos. É muito equilibrado, disciplinado porém destemido quando provocado ou sob co

 

 

 

 

 

 

 

Cocker Spaniel Americano

Cocker Spaniel Americano

Criado pelos americanos para ser um “Spaniel” perfeito, sobretudo um caçador eficiente e completo! Ou seja, um retriever, aquele que busca a caça e um levantador, aquele que a fareja e sinaliza. Hoje em dia, no Brasil, a raça é mais utilizada para companhia e exposição. Mas no seu país de origem ainda são bastante utilizados na sua função original.

O Cocker Spaniel Americano é indicado para pequenos ou grandes espaços e qualquer tipo de clima, este cãozinho é o menor e um dos mais dóceis cães do Grupo de Caça e é excelente companhia para idosos e crianças. É bastante tolerante a brincadeiras e muito paciente, sendo ideal para crianças pequenas. Mas com certeza encantará toda a família já que adora estar com as pessoas. Muito forte e resistente, seu caráter alegre e obediente, sempre. Muito fácil de educar, já que procura sempre agradar seu dono. Sua pelagem, além da grande gama de cores, possibilita uma grande variação de tosas, sendo necessário o pelo longo apenas para os cães de exposição. Todas essas qualidades levaram o Cocker Spaniel Americano a sagrar-se uma das raças mais queridas e populares nos Estados Unidos! 

Já encontramos registros da raça desde o início de 1800, certamente bem distinta do que ela é hoje. Antes, os Spaniels eram uma coisa só. Em seguida começaram a separar-se por tamanho, variedade, cor. Hoje são várias raças específicas ditadas pelo seu próprio padrão de acordo com seu país de origem. No Brasil, ainda são raros os representantes dessa maravilhosa raça e estes poucos ainda são confundidos com o “primo” Cocker Spaniel Inglês. De todos os Spaniels existentes no mundo, com certeza esses dois são o que mais se assemelham, mas basta aprofundar-se um pouco mais em seus padrões que logo surgem as grandes diferenças.

Resumo de suas principais características:

Nacionalidade Estados Unidos da América
Função Caça e Busca
Grupo FCI 8 Retrivers, Levantadores e Cães de Água
Grupo AKC 1 Grupo Esportivo
Porte Pequeno/médio:  mínimo de  35.6 cm e máximo de 40.7 cm  
Temperamento É alegre, atento, doce, bem humorado, carinhoso, extremamente inteligente
Ambiente Adapta-se a qualquer espaço e variação climática
Peso Mínimo e Máximo Varia  de tamanho, nunca obesos ou magros, devem aparentar-se cães esportivos
Cores da Pelagem As cores sãos sólidas (sem branco e bicolores) ou particolors (branco com uma mais cores) -  Sólidos: todos os tons de dourado, do quase branco ao vermelho escuro, preto, black and tan (preto e canela), chocolate e chocolate e tan. Particolors: preto e branco, laranja e branco, chocolate e branco, tricolor chocolate e tricolor, azul ruão e laranja ruão (onde as cores secundárias são como se fossem pequenas pintas e manchas).
Pelagem A pelagem é vasta, longa, lisa e reta, nunca lanosa ou anelada. Troca de Pêlo: de filhote para adulto, e em alguns cães pode ser anual, principalmente após cio de cadelas e em lugares muito quentes. Áreas mais sensíveis: orelhas, ouvidos e pele
Longevidade  De 10 a 14 anos

 

Texto elaborado por : Joanna Avelar Estanislau de Assis, proprietária do Canil Hall of Lords

                    Maiores informações pelo site: www.halloflords.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

RHODESIAN RIDGEBACK

RHODESIAN RIDGEBACK


Esta raça é originária da África do Sul e tem sido criada pelos fazendeiros BOERS (nativos descendentes de colonizadores holandeses) para trabalho de caça pesada na mata. 
Eles eram usados na caça de perdizes, lebres, doninhas e até animais de grande parte. 
A raça é tida como a combinação perfeita de elegância com força muscular.
A raça, também, é chamada de “African Lion Hound”, Ridgeback da Rodésia ou Leão da Rodésia. Esses cães são extremamente fortes pois além de agüentar o rigor da selva africana,onde a temperatura é altíssima durante o dia e à noite cai abaixo de 0°, também conseguem permanecer 24 horas ou mais sem beber água. São grandes guardiões da família, são limpos, fáceis de serem mantidos e não são barulhentos nem briguentos. 
Esta raça vem ganhando popularidade principalmente devido a obediência, fácil aprendizado, sua natureza dócil e desejo constante de agradar seu dono e o carinho pelas crianças. 
Os cães “rodesianos” são muito inteligentes com muita habilidade para resolver problemas e perceber situações. Aceitam muito bem o treinamento, aprendendo comandos básicos e hábitos de higiene com muita facilidade. Tem grande estabilidade emocional e autocontrole para evitar latidos desnecessários. São muito apegados ao seu dono, mantendo-se sempre perto dele buscando afeto, brincando ou mesmo moldando-se ao estilo de vida dele. Tem uma alegria incomum no relacionamento com o dono.
Tem muita facilidade de aceitar os outros membros da família demonstrando muita intimidade. É um cão de guarda,latindo para dar o alerta e rejeita estranhos na ausência dos donos podendo até atacar o provável invasor. 
É muito sociável com outros cães sejam do mesmo sexo ou do oposto. Não aceita muito bem o convívio com gatos se não tiver convivido com um. 
Atualmente é usado como guarda, companhia, agility, rastreamento ou caça. 
A pelagem é curta, lisa, densa e brilhante. Tem como característica uma crista com pêlos eriçados no dorso crescendo na direção oposta ao restante do corpo. A crista é visível a partir da cernelha, imediatamente atrás dos ombros, e se prolonga até a garupa afinando gradativamente. Algumas pessoas se assustam com esses pêlos eriçados achando que é o sinal de um ataque eminente. As cores são cor de trigo pálido ou fulvo avermelhado. Alguns espécimes tem uma pequena mancha branca no peito e na ponta dos dedos. 
O peito não é muito largo mas profundo e tem um dorso poderoso. O pescoço tem bom comprimento, forte e sem barbelas. O lombo é ligeiramente arqueado e ombros bem delineados e musculosos.
As orelhas são inseridas altas portadas próximas à cabeça. Os olhos são redondos e moderamente separados. A mordedura é perfeita e completa em tesoura.
A cauda é portada ligeiramente curva para cima. 
O tamanho é de 63 a 69 cm e peso de cerca de 36 kg (machos) e 61 a 66 cm e peso de 32 kg (fêmeas.
O área ideal para a sua criação deve ser grande, precisa de exercício constante e a longevidade é média de 10 a 12 anos.

 

 

 

 

 

 

 

SOFT COATED WHEATEN TERRIER  

Exemplar do Canil Waterford Hills Kennel

SOFT COATED WHEATEN TERRIER  

Esta raça é originária da Irlanda e só foi reconhecida oficialmente em 1943, na Inglaterra, após muita polêmica em torno do nome. As primeiras propostas não incluíam referência à natureza macia do pelo, diferencial primário da raça e não foram aceitas pelo Kennel Club Inglês. Só depois de todas as característica da raça terem sido incluídas no nome é que este teve seu reconhecimento aprovado. Assim, nasceu o Soft Coated Wheaten Terrier ou Terrier Irlandês de Pelo Macio Cor de Trigo. Esta raça foi desenvolvida para caçar pequenos roedores e ajudar no pastoreio de ovelhas. O Soft Coated destaca-se dos outros terriers pela sua pelagem longa e macia. A coloração “cor de trigo” - daí o prefixo “Wheaten” no nome - é caracteristica obrigatória da raça. Tanto a FCI (Federacion de Cinofilie Internacionale)  como o AKC (American Kennel Club) reconhecem o SOFT COATED WHEATEN TERRIER de maneira definitiva e, às vezes, é chamado de IRISH SCWT, devido à origem irlandesa da raça. Uma peculiaridade que vale a pena mencionar é que essa raça não solta pêlos, podendo conviver sem problemas com pessoas asmáticas ou alérgicas a cães. O Soft Coated Wheaten Terrier (ou simplesmente SCWT) é uma raça muito adaptável, além de possuir temperamento e características excepcionais. O SCWT é um cão muito afetuoso e leal para com as pessoas da casa, como todo Terrier. É cauteloso e alerta na presença de estranhos, sem ser agressivo quando não percebe perigo iminente. É muito brincalhão e interage bem com crianças. Moderadamente ativo, apega-se facilmente às pessoas e não gosta de ficar sozinho. Convive sem problemas com cães de outras raças, e não é um cão considerado “encrenqueiro”. É um cão forte, ativo e corajoso, compacto de corpos e sem vestígios de exagero. A cabeça é moderadamente comprida, com orelhas pequenas, bem franjadas e dobradas para a frente. Os olhos são escuros, com uma expressão inteligente e p corpo todo é coberto com uma pelagem macia e profusa – ondulada ou com cachos grandes e soltos. A altura da cernelha é de cerca de 46 a 48 cm para os machos e um pouco menor para as fêmeas, O peso varia de 18 a 20 quilos. Devido ao seu temperamento energético esses cães precisam de exercícios regulares, como passeios diários para evitar que fiquem entediados. São cães que se adaptam muito bem a apartamentos e tem uma expectativa de vida de 12 a 14 anos.

Maiores informações dessa raça acessem o site www.wheatens.com.br  Criador Ruy P.César – São Paulo – Capital E.mail: info@wheatens.com.br  

 

 

 

 

 

COTON DE TULEAR

Exemplares do Canil Nackicão - Pinhais - Paraná

COTON DE TULEAR

O Coton de Tuléar é de origem francesa das Ilhas de Madagascar, a raça foi reconhecida pela CBKC em 1970. Seu nome “Coton” significa algodão em francês e “Tulear” é o nome da cidade em Madagascar na qual a raça se desenvolveu.
Cãozinho famoso por ser o companheiro de luxo da nobreza francesa. Por isso é considerado cão de companhia e atualmente se adapta perfeitamente a pequenos espaços como apartamentos.
De caráter alegre, equilibrado, obediente, gosta de brincar e ser mimado. Muito sociável tanto com os adultos/crianças como com outros cães. Adapta-se perfeitamente a qualquer estilo de vida.
O pêlo é a principal característica desta raça por ser macia e com uma textura muito similar ao do algodão, nunca dura ou áspera; a pelagem é densa, profusa e pode ser levemente ondulada.
A cor de base é branca, mas uma ligeira sombra de vermelho ruão (mistura de pêlos brancos com pêlos fulvos) é permitida nas orelhas. Nas outras partes do corpo, esses tons podem ser tolerados pela CBKC se não alterarem a aparência geral de uma pelagem branca, mas não são desejados.
No Brasil ainda há poucos criadores da raça, mas ainda se trata de uma raça rara e muito menos popular do que em outros países da Europa.  
TAMANHO / PESO
Machos: 26 a 28 cm , tolerância de 2 cm para cima e 1 cm para baixo.
Fêmeas: 23 a 25 cm , tolerância de 2 cm para cima e 1 cm para baixo.
Peso: Machos: de 4 kg . Máximo de 6 kg .
Fêmeas: de 3,5 kg . Máximo de 5 kg

Maiores informações dessa raça acessem o e;.mail: dulcianddogas@yahoo.com.br - Criadora Dulci Schmidt - Pinhais - Paraná
Tels: (41) 3669.7105/3669.8214/9224.0381
Rua Juscelino Kubitschek.225 _ cep. 83330-020